“Sonho ter um notebook.” – Henrique, 15 anos, Leucemia

Categoria: 2010, Sonho Ter

29/03/2010 – Henrique: “Eu sonho ter um notebook…”. Henrique ficou mês internado por complicação na leucemia. Em pouco tempo junto com ele já podemos perceber o quanto ficar isolado de seus amigos e da sua rotina o prejudicava. Era um adolescente se descobrindo e descobrindo o mundo ao seu redor. Sempre de um jeito aparentemente tímido, mas ele sabia exatamente o que queria. Foi o líder do time de futebol da sua rua, e namorava a menina mais bonita do bairro. Esse tempo que o Henrique ficou afastado só fez crescer mais ainda sua fama e popularidade. Ele mandou uma carta pedindo um notebook para não se afastar tanto do seu mundo lá fora. Conseguimos outras informações importantes ao seu respeito: o irmão mais novo era um tipo de fiel escudeiro, presente em todas as horas, e pronto pra assumir a vaga de “chefe” do irmão quando precisasse. Descobrimos também que a banda favorita d Henrique é o Strike e que o Henrique era viciado em Lasanha. E chegou o dia, como os voluntários da Make-A-Wish sempre visitavam o Henrique no hospital, ele nem estranhou quando os viu por lá, o voluntário perguntou se ele estava com fome, se queria uma Lasanha, Henrique nem exitou em dizer: “- Lógico!”. Vendo que era Lasanha de mais só pro Henrique, seu Pai, sua Mãe e seu Irmão, perguntamos se o Henrique queria companhia para ajudar a comer tudo. Foi ai que o pessoal da banda Strike entrou. Cadu, o baterista, Fábio, guitarrista e Snow. Dando um show de simpatia e humildade, distribuíram vários presentes da banda para o Henrique, que ainda não estava entendendo muito bem o que estava acontecendo. Foram mais de 2 horas de conversa e risadas. Uma hora foi comentado que o Henrique conheceu o Ronaldo ano passado, Cadu disse “- Poxa, pra quem conheceu o Ronaldo, conhecer agente então não é grande coisa (risos)”, “- Aquele dia não foi nada comparado a esse” completa Henrique. E nem havia chego à sobremesa ainda. Também descobriram que ele era louco por pudim de doce de leite, e a sobremesa era essa, com um detalhe só, um Notebook na bandeja. Quando o Henrique viu, obviamente nem encostou no pudim.